Publicidade

Publicidade

Arquivo de junho, 2009

30/06/2009 - 17:20

O MELHOR DO MUNDO EM JUNHO

Compartilhe: Twitter

Recebi ontem no Magazine Bandsports o meia Renato, do Sevilla, campeão da Copa das Confederações pela seleção em 2005. O ex-jogador do Santos e do Guarani falou com orgulho e carinho de Luis Fabiano, companheiro de time na Espanha. “Quando ele está bem, o time fica bem.”

A temporada espanhola não foi das melhores para o artilheiro. Uma lesão aqui, outra ali. Oito gols marcados no Campeonato Espanhol, o mesmo desempenho do meio-campista Renato. Quase o mesmo tanto que ele conseguiu fazer em cinco jogos da Copa das Confederações pela seleção. E mais um nesse período com a seleção na partida contra o Uruguai pelas eliminatórias, em Montevidéu.

Renato também contou que conversa sempre com o atacante para que ele mantenha a calma e não reclame com a arbitragem. Mais experiente, Luis Fabiano parece mesmo ter deixado no passado o comportamento explosivo que o atrapalhou em alguns momentos da carreira.

Em um mês sem as principais ligas européias e com muitos dos grandes jogadores do planeta em férias, Luis Fabiano foi o melhor do mundo em junho.

Autor: - Categoria(s): Futebol europeu, Seleção Tags: , , , , , , , , , , ,
30/06/2009 - 16:04

HISTÓRIAS DAS COPAS 19

Compartilhe: Twitter

A participação brasileira na Copa do Mundo de 1934, na Itália, durou apenas uma partida. No dia 27 de maio, no estádio Marassi, em Gênova, a seleção perdeu para a Espanha por 3×1 e foi eliminada. O único gol brasileiro foi marcado por Leônidas da Silva, que ainda se tornaria um dos grandes nomes da história do futebol brasileiro e das Copas. Outras figuras importantes do esporte do país estiveram no time de 34: o atacante Waldemar de Britto, que descobriria Pelé nos anos 50 e o goleiro Roberto Gomes Pedrosa, que se destacaria como dirigente nas décadas seguintes.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , ,
29/06/2009 - 21:29

HISTÓRIAS DAS COPAS 18

Compartilhe: Twitter

A Itália foi escolhida para receber a segunda Copa do Mundo da história, em 1934, depois de ter perdido o direito de sediar o Mundial quatro anos para o Uruguai. Ao contrário dos uruguaios, que fizeram jogos apenas na capital Montevidéu, os italianos distribuíram as partidas em oito cidades: Roma, Milão, Florença, Turim, Genova, Bolonha, Nápoles e Trieste. O ditador italiano Benito Mussolini aproveitou a popularidade do futebol para difundir ideias fascistas no torneio.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
28/06/2009 - 17:38

COMPETITIVO COMO NUNCA

Compartilhe: Twitter

Ponto para o comando da CBF. Quando o Brasil perdeu para a França nas quartas de final da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, todos sentiram que faltaram vibração e disciplina para empurrar aquele timaço ao título.

A percepção foi decisiva para a escolha de Dunga, mesmo sem experiência, para a fuñção de treinador em substituição a Carlos Alberto Parreira. De lá para cá, a seleção pode não ter sido brilhante, mas foi competitiva como nunca.

Depois de levar a equipe à conquista da Copa América com vitória sobre a Argentina na final, o técnico agora comemora a Copa das Confederações com uma virada espetacular contra os EUA por 3×2.

Apesar dos dois gols norte-americanos no 1o tempo, cheios de méritos dos atacantes, o Brasil teve postura ofensiva e criou algumas chances, apesar do desempenho abaixo do esperado de Kaká e Robinho, jogadores decisivos para a seleção.

Sem opções no banco para criação de jogadas como Ronaldinho Gaúcho, ainda sob desconfiança no Milan, ou Alex, esquecido na Rússia depois de sair do Inter, Dunga recorreu a Daniel Alves e Elano.

Mais do que as mudanças, fizeram diferença o talento e a manutenção da postura ofensiva, além do maior acerto do treinador à frente da equipe: Luis Fabiano.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Seleção Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
28/06/2009 - 11:50

HISTÓRIAS DAS COPAS 17

Compartilhe: Twitter

A recusa do Uruguai, campeão do mundo, por causa da fraca participação européia em 30 e as desistências de Bolívia e Paraguai abriram caminho para que Brasil e Argentina fossem os únicos participantes sul-americanos da Copa de 34, na Itália. Além de europeus e americanos, o Mundial teve também a participação africana pela primeira vez com a seleção do Egito, comandada pelo escocês James McRea.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , ,
27/06/2009 - 20:50

HISTÓRIAS DAS COPAS 16

Compartilhe: Twitter

O sucesso da primeira Copa do Mundo, em 30, no Uruguai, fez com que 32 seleções se inscrevessem para o Mundial de 34. Como queria organizar a competição para 16 equipes, a Fifa marcou partidas classificatórias. Até mesmo a Itália, dona da casa, teve que jogar as eliminatórias, com vitória por 4×0 em Milão e desistência da Grécia antes da segunda partida. Os uruguaios se recusaram a participar do torneio em represália ao fato de os italianos não terem viajado para o Uruguai quatro anos antes. Foi a única vez em que os campeões não defenderam o título.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , ,
26/06/2009 - 16:54

HISTÓRIAS DAS COPAS 15

Compartilhe: Twitter

O primeiro grande templo da história dos mundiais de futebol foi o estádio Centenário,
em Montevidéu, no Uruguai. A construção do colosso começou em 1929, menos de um ano antes
da Copa de 30. O tempo escasso fez com que fossem organizados três turnos de trabalho
para que o projeto pudesse ser concluído. O Centenário foi palco de 10 dos 18 jogos da
Copa de 30, incluindo as semifinais e decisão. Na época, a capacidade era de 100 mil
lugares. Hoje, com poucas mudanças em relação ao projeto original, o estádio recebe 76 mil
torcedores.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , ,
25/06/2009 - 17:46

AS OPÇÕES DE DUNGA

Compartilhe: Twitter

Sem desmerecer a ótima atuação da África do Sul na semifinal contra o Brasil na Copa das Confederações, o jogo mostrou aspectos negativos no trabalho de Dunga, mesmo no melhor momento do treinador à frente da seleção.

Além de um esquema que nunca muda, é sempre o mesmo 4-4-2, e de não ter muitas opções no banco de reservas, Dunga ainda não definiu a lateral-esquerda da seleção. Iluminado, o técnico arriscou ao colocar Daniel Alves no setor no lugar de André Santos, que ainda não funcionou como substituto do desgastado Kléber.

Não pelo que fez no setor, mas pela qualidade que tem para cobrar faltas, Daniel resolveu um dos jogos mais difíceis que a seleção teve em 2009. O time foi bem estudado por Joel Santana e sofrerá forte marcação dos norte-americanos. Se não contar com uma jogada desequilibrante no primeiro tempo, o Brasil deve sofrer novamente.

E para a lateral-esquerda, passou da hora de testar Fábio Aurélio, que vem de ótimas temporadas pelo Liverpool.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Seleção Tags: , , , , , , , , , ,
25/06/2009 - 15:57

HISTÓRIAS DAS COPAS 14

Compartilhe: Twitter

O dia 30 de julho de 1930 ficou marcado na história do futebol como a data da final da primeira Copa do Mundo. O Uruguai, dono da casa, chegou à decisão como favorito por ter conquistado os títulos olímpicos de 24 e 28. No caminho, a equipe passou por Peru, Romênia e Iugoslávia. Já  a Argentina alcançou a final com vitórias sobre França, México, Chile e EUA. O Uruguai abriu o placar, mas os argentinos viraram ainda no primeiro tempo. O título só foi definido na segunda etapa com nova virada para 4×2 e comemoração uruguaia.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , ,
24/06/2009 - 22:28

HISTÓRIAS DAS COPAS 13

Compartilhe: Twitter

A Argentina deixou para trás Chile, França e México ao vencer o grupo 1 da Copa do Mundo de 30, on Uruguai. A Iugoslávia alcançou as semifinais ao eliminar Brasil e Bolívia. Os uruguaios, donos da casa, superaram Romênia e Peru. E o time dos EUA ganhou a chave 4, que também tinha Paraguai e Bélgica. Nas semifinais, a Argentina fez 6×1 nos EUA, com show no segundo tempo e dois gols de Stábile. Curiosamente, a outra semifinal terminou com o mesmo placar: 6×1 para o Uruguai contra a Iugoslávia com três gols de Pedro Cea.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , ,
Voltar ao topo