Publicidade

Publicidade

25/11/2009 - 18:12

HISTÓRIAS DAS COPAS 167

Compartilhe: Twitter

Depois de treinar Ajax e Barcelona, o técnico holandês Rinus Michels assumiu a seleção do país meses antes da Copa do Mundo de 74, na Alemanha Ocidental. O grupo superou um racha entre jogadores do Feyenoord e do Ajax para mostrar um conjunto inimaginável para uma equipe formada às vésperas do torneio. As ideias de diminuir os espaços do adversário com a linha de impedimento e de comprimir as linhas táticas para permitir trocas de posições e movimentação constante formataram o “futebol total” holandês. A seleção brilhou logo na primeira fase com vitórias sobre o Uruguai por 2×0 e sobre a Bulgária por 4×1, além do empate por 0x0 contra a Suécia.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , , ,
22/11/2009 - 17:40

HISTÓRIAS DAS COPAS 164

Compartilhe: Twitter

O Brasil teve um começo difícil na Copa do Mundo, de 74, na Alemanha Ocidental. O técnico Zagallo escalou Leão, Nelinho, Luiz Pereira, Marinho Peres e Marinho Chagas; Piazza, Rivellino e Paulo César Caju; Valdomiro, Jairzinho e Leivinha para o empate por 0x0 contra a Iugoslávia, em Frankfurt. Cinco dias depois, com Mirandinha no lugar de Valdomiro, a seleção empatou de novo e não conseguiu marcar: 0x0 com a Escócia.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,
18/11/2009 - 18:32

HISTÓRIAS DAS COPAS 160

Compartilhe: Twitter

A Copa do Mundo de 74 marcou uma mudança no formato de disputa da competição. O torneio, organizado na Alemanha Ocidental, teria as mesmas 16 seleções das edições anteriores e a mesma divisão de quatro grupos com quatro equipes. Já na fase final, os confrontos eliminatórios foram substituídos por duas novas chaves, que indicariam as finalistas e os times que disputariam o terceiro lugar. Com o novo sistema de disputa, a Escócia terminou o Mundial com a única equipe que não perdeu: com uma vitória e dois empates, a equipe foi eliminada por um gol de diferença no saldo em relação ao Brasil.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , ,
17/11/2009 - 13:13

HISTÓRIAS DAS COPAS 159

Compartilhe: Twitter

Com a conquista definitiva da taça Jules Rimet por causa do tricampeonato do Brasil no México, em 70, a Fifa preparou um novo troféu para entregar aos campeões a partir da Copa de 74, na Alemanha Ocidental. O escultor italiano Silvio Gazzaniga foi o responsável pelo projeto que criou uma estátua de 36 cm e quase 5 kg de ouro maciço que representa esforço, harmonia, paz e dinamismo. Nela, uma figura humana torcida em espiral carrega o globo terrestre. Para ficar com a taça para sempre, uma seleção precisa conquistar o mundial três vezes seguidas ou cinco vezes, ainda que não obtenha títulos seguidos.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , ,
11/11/2009 - 12:34

HISTÓRIAS DAS COPAS 153

Compartilhe: Twitter

Um dos grandes nomes da Copa de 70, o alemão Gerd Muller acumulou recordes impressionantes ao longo da carreira. Pelo Bayern de Munique, foram 365 gols em 427 jogos pela Liga Alemã. Na seleção, incríveis 68 gols em 62 partidas, 14 deles em mundiais de futebol, marca que fez de Muller o maior goleador de todas as copas até 2006. No México, o atacante balançou as redes 10 vezes para ser o artilheiro do torneio. Depois do terceiro lugar em 70, Muller seria campeão europeu em 72 e mundial em 74 pela Alemanha Ocidental.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , ,
10/11/2009 - 18:33

HISTÓRIAS DAS COPAS 152

Compartilhe: Twitter

A eliminação na Copa de 66 para a Coreia do Norte mudou o futebol da Itália com o fechamento do mercado para estrangeiros para fortalecer a seleção. Depois do título europeu de 68, os italianos superaram o mal-estar que acometeu vários jogadores para chegar às semifinais. Contra a Alemanha Ocidental, os italianos venciam até o último minuto, quando viram Schnellinger empatar. Na prorrogação, uma batalha que entrou para a história com cinco gols, Beckenbauer jogando com uma clavícula deslocada e a vitória da Itália por 3×2, com 4×3 no placar geral. O desgaste do jogo atrapalhou a Itália no segundo tempo da decisão contra o Brasil.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
08/11/2009 - 11:08

HISTÓRIAS DAS COPAS 150

Compartilhe: Twitter

Gérson e Rivellino voltaram à escalação da seleção brasileira para o jogo que valia vaga nas semifinais da Copa de 70, no México, contra o Peru, surpresa do Mundial comandada pelo craque Cubillas e treinada pelo brasileiro Didi. Rivellino abriu o placar, Tostão marcou duas vezes e Jairzinho completou o placar de 4×2 da vitória brasileira. Ainda pelas quartas de final, a Alemanha Ocidental precisou de prorrogação para eliminar a Inglaterra, a Itália goleou o México por 4×1 e o Uruguai superou a União Soviética no tempo extra.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,
02/11/2009 - 12:23

HISTÓRIAS DAS COPAS 144

Compartilhe: Twitter

As 16 seleções classificadas para a Copa do Mundo do México, em 70, foram divididas em quatro grupos na primeira fase. União Soviética e México avançaram no grupo 1, Itália e Uruguai passaram na chave 2, Brasil e Inglaterra conseguiram classificação no grupo 3 e na chave 4, Alemanha Ocidental e Peru garantiram as primeiras posições e vagas nas quartas de final do torneio.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , ,
24/10/2009 - 17:00

HISTÓRIAS DAS COPAS 135

Compartilhe: Twitter

A decisão da Copa do Mundo de 66 teve um roteiro épico. A Inglaterra tentava em casa o seu primeiro título mundial e a Alemanha Ocidental lutava pelo bicampeonato. O alemão Haller deixou em silêncio os mais de 90 mil torcedores que lotavam o estádio de Wembley ao abrir o placar aos 12 minutos. Com Hurst e Peters, os ingleses viraram o jogo e comemoram até os 44 minutos do segundo tempo, quando Haller marcou de novo e decretou o empate por 2×2 no tempo normal. Na prorrogação, Hurst marcou mais duas vezes para garantir a vitória inglesa, mas em um dos gols a bola bateu no travessão e não ultrapassou a linha de fundo, num dos grandes erros de arbitragem na história do futebol.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , ,
22/10/2009 - 13:07

HISTÓRIAS DAS COPAS 133

Compartilhe: Twitter

A Inglaterra chegou pela primeira vez a uma final da Copa do Mundo ao vencer a seleção de Portugal, do craque Eusébio, por 2×1, com dois gols do artilheiro Bobby Charlton, diante de quase 100 mil pessoas no estádio de Wembley, em Londres. O adversário na decisão seria a Alemanha Ocidental, que superou a União Soviética do goleiro Yashin com gols de Haller e Beckenbauer, em Liverpool.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo