Publicidade

Publicidade

05/10/2009 - 16:02

HISTÓRIAS DAS COPAS 116

Compartilhe: Twitter

Livre de suspensão pela expulsão na semifinal, Garrincha teve que superar febre de 38 graus para entrar em campo na decisão da Copa de 62, no Chile, contra a Tchecoslováquia. A presença na final foi suficiente para que os adversários colocassem dois jogadores na marcação do craque. Masopust colocou os europeus em vantagem, mas Amarildo foi decisivo ao empatar o jogo e fazer o cruzamento para Zito virar o placar. Com um gol de Vavá, o Brasil venceu por 3×1 e conquistou o bicampeonato, igualando o Uruguai, vencedor do Mundial em 30 e 50, e a Itália, que havia levantado a taça em 34 e 28.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
01/10/2009 - 14:55

HISTÓRIAS DAS COPAS 112

Compartilhe: Twitter

Com Amarildo no lugar do machucado Pelé, o Brasil teve muitas dificuldades diante da Espanha na última rodada da primeira fase da Copa de 62, no Chile. Depois de sair perdendo, a seleção foi beneficiada por erros do árbitro chileno Sergio Bustamente Gonzalez, que anulou um gol espanhol e deu como falta fora da área um pênalti de Nilton Santos em Abelardo. Com duas grandes jogadas de Garrincha, Amarildo marcou duas vezes e colocou a equipe brasileira na fase final.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , ,
23/09/2009 - 23:23

HISTÓRIAS DAS COPAS 104

Compartilhe: Twitter

A campanha vitoriosa do Brasil na Copa de 62, no Chile, teve duas marcas interessantes. A seleção usou apenas 12 atletas nas seis partidas, um recorde na história do torneio. Além dos 11 titulares da estreia, apenas Amarildo atuou na competição, graças à lesão de Pelé. Com a base campeã de 58, o time brasileiro foi também o mais velho a vencer o Mundial de futebol.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , ,
21/09/2009 - 15:35

HISTÓRIAS DAS COPAS 102

Compartilhe: Twitter

 Campeão do mundo em 58, o Brasil apostou na base vitoriosa para a Copa de 62, no Chile. Dos 22 convocados, 14 estiveram na Suécia. As oito novidades eram Jair Marinho, Jurandir, Altair, Zequinha, Mengálvio, Jair da Costa, Coutinho e Amarildo, que seria decisivo com a lesão de Pelé. A comissão técnica teve apenas a troca do treinador Vicente Feola por Aymoré Moreira e a substituição do psicólogo João Carvalhaes por Ataíde Ribeiro.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo