Publicidade

Publicidade

01/09/2009 - 16:44

HISTÓRIAS DAS COPAS 82

Compartilhe: Twitter

Além da classificação do Brasil, as eliminatórias da América do Sul para a Copa de 58, na Suécia, tiveram a surpreendente derrota do Uruguai por 5×0 para o Paraguai, que ficou com uma vaga. O outro time do continente no Mundial foi a Argentina, que se classificou com o time campeão da Copa América de 57, mas perdeu jogadores importantes como Maschio, Angelilo e Sivori, que foram negociados com clubes italianos e não puderam disputar o torneio.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , ,
26/07/2009 - 18:11

HISTÓRIAS DAS COPAS 45

Compartilhe: Twitter

Argentinos lamentam até hoje o fato de as copas de 42 e 46 não terem sido realizadas por causa da Segunda Guerra Mundial. Especialistas acreditam que seriam muito grandes as chances de título mundial para o timaço que ganhou quatro vezes a Copa América. No final da década de 40, vários jogadores importantes como Moreno, craque do River Plate, deixaram o país em busca de dinheiro na Colômbia e no México.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , ,
28/06/2009 - 17:38

COMPETITIVO COMO NUNCA

Compartilhe: Twitter

Ponto para o comando da CBF. Quando o Brasil perdeu para a França nas quartas de final da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, todos sentiram que faltaram vibração e disciplina para empurrar aquele timaço ao título.

A percepção foi decisiva para a escolha de Dunga, mesmo sem experiência, para a fuñção de treinador em substituição a Carlos Alberto Parreira. De lá para cá, a seleção pode não ter sido brilhante, mas foi competitiva como nunca.

Depois de levar a equipe à conquista da Copa América com vitória sobre a Argentina na final, o técnico agora comemora a Copa das Confederações com uma virada espetacular contra os EUA por 3×2.

Apesar dos dois gols norte-americanos no 1o tempo, cheios de méritos dos atacantes, o Brasil teve postura ofensiva e criou algumas chances, apesar do desempenho abaixo do esperado de Kaká e Robinho, jogadores decisivos para a seleção.

Sem opções no banco para criação de jogadas como Ronaldinho Gaúcho, ainda sob desconfiança no Milan, ou Alex, esquecido na Rússia depois de sair do Inter, Dunga recorreu a Daniel Alves e Elano.

Mais do que as mudanças, fizeram diferença o talento e a manutenção da postura ofensiva, além do maior acerto do treinador à frente da equipe: Luis Fabiano.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Seleção Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo