Publicidade

Publicidade

22/11/2009 - 21:13

A PIOR DAS ORIENTAÇÕES

Compartilhe: Twitter

Ao final de mais uma rodada emocionante do Brasileirão, quero destacar a mais absurda das orientações que recebem os árbitros de futebol.

Imagine a emoção de um gol aos 43 minutos do segundo tempo. E se esse gol determinar uma vitória de virada? Pode ficar ainda mais emocionante se o seu time precisar desse resultado para fugir do rebaixamento. Para completar, o adversário é  o líder da competição até então

Quando Jóbson marcou 3×2 para o Botafogo contra o São Paulo, a explosão de alegria foi inevitável. O atacante comemorou com a torcida e exagerou ao tirar a camisa. Levou o segundo amarelo e foi expulso. O árbitro Sandro Meira Ricci, um dos melhores do Brasileirão, agiu de acordo com a orientação dada pela Fifa.

O que não entendo é o objetivo dessa medida. A arbitragem pode perfeitamente colocar o tempo gasto na comemoração nos acréscimos, mas tentar controlar a emoção no melhor momento do futebol é realmente difícil de engolir.

Autor: - Categoria(s): Brasileirão Tags: , , , , , , , , , ,
17/11/2009 - 13:13

HISTÓRIAS DAS COPAS 159

Compartilhe: Twitter

Com a conquista definitiva da taça Jules Rimet por causa do tricampeonato do Brasil no México, em 70, a Fifa preparou um novo troféu para entregar aos campeões a partir da Copa de 74, na Alemanha Ocidental. O escultor italiano Silvio Gazzaniga foi o responsável pelo projeto que criou uma estátua de 36 cm e quase 5 kg de ouro maciço que representa esforço, harmonia, paz e dinamismo. Nela, uma figura humana torcida em espiral carrega o globo terrestre. Para ficar com a taça para sempre, uma seleção precisa conquistar o mundial três vezes seguidas ou cinco vezes, ainda que não obtenha títulos seguidos.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , ,
01/11/2009 - 19:06

O MELHOR DO MUNDO EM OUTUBRO

Compartilhe: Twitter

O grande destaque do mês de novembro não apareceu na lista divulgada esta semana pela Fifa, que indicou os 23 jogadores que vão disputar o prêmio de melhor do mundo em 2009.

Ele também ainda não brilhou nos gramados dos principais palcos do futebol mundial. Aos 19 anos, o jovem Dominic Adiyiah se prepara para deixar o Fredrikstad, da Noruega, para vestir a camisa do gigante Milan, da Itália.

Com oito gols marcados, o artilheiro foi o melhor jogador da seleção de Gana e do Mundial Sub-20 conquistado pelos africanos, no Egito. Tudo indica que o futuro vá colocá-lo em muitas das relações de principais jogadores do planeta.

Também foram muito bem nos últimos 30 dias o espanhol Fabregas, do Arsenal e o marfinense Drogba, do Chelsea. Em franca recuperação no Milan, Ronaldinho Gaúcho também merece destaque nas quatro semanas que passaram.

E mesmo sem jogar, Cristiano Ronaldo mostrou a sua importância em novembro. Sem o craque português, o Real Madrid despencou com derrotas para o Milan, pela Liga dos Campeões, e para o modesto Alcorcón, pela Copa do Rei.

Autor: - Categoria(s): Futebol europeu Tags: , , , , , , , , , , , ,
26/10/2009 - 18:03

HISTÓRIAS DAS COPAS 137

Compartilhe: Twitter

Tofik Bakhramov era um jogador de futebol soviético, mas teve a carreira interrompida por uma lesão. Decidiu então tornar-se árbitro, entrou para o quadro da FIFA em 64 e foi escolhido para trabalhar na Copa do Mundo de 66, na Inglaterra. Escalado como assistente na decisão, foi protagonista ao validar na prorrogação um gol do inglês Hurst em jogada na qual a bola não atravessou a linha de fundo. Falecido em 93, Bakhramov dá nome ao principal estádio da cidade de Baku, capital do Azerbaijão, ex-república soviética onde ele nasceu.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , ,
07/10/2009 - 22:43

HISTÓRIAS DAS COPAS 118

Compartilhe: Twitter

O fim da colonização e a independência de vários países no mundo todo entre os anos 50 e 60 fizeram aumentar muito o número de países inscritos para a Copa do Mundo a partir de 66. Depois de décadas de aproximação entre a Fifa, organizadora dos mundiais, e os ingleses, inventores das regras do futebol, o torneio finalmente seria realizado na Inglaterra.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , ,
06/10/2009 - 11:52

HISTÓRIAS DAS COPAS 117

Compartilhe: Twitter

A Copa de 62, no Chile, teve um inédito empate na artilharia do torneio, de acordo com a Fifa. Seis atletas marcaram quatro gols durante o Mundial, sendo dois brasileiros: Garrincha e Vavá, que disputaram as cinco partidas da seleção em território chileno. A melhor média foi do húngaro Florian Albert, que entrou em campo apenas três vezes. Valentin Ivanov, da União Soviética, o chileno Leonel Sanchez e o iugoslavo Drazen Jerkovic completam a relação. Há quem defenda, no entanto, que Jerkovic teria marcado um quinto gol no torneio, confirmado para Galic, no jogo contra o Colômbia. A Fifa, no entanto, não oficializa a marca.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , ,
28/08/2009 - 13:44

HISTÓRIAS DAS COPAS 78

Compartilhe: Twitter

Depois da vitória por 8×3 na primeira fase, a Hungria reencontraria a Alemanha Ocidental na grande final da Copa do Mundo de 54, na Suíça. Mais da metade dos 60 mil torcedores eram alemães, maioria também porque o regime comunista impedia húngaros de deixarem o país com medo de deserções. Pioneira no aquecimento, a Hungria já tinha 2×0 no placar aos oito minutos, mas viu a Alemanha virar no encharcado gramado do estádio Wankdorf para 3×2, com dois gols de Rahn. O capitão Fritz Walter, homem de confiança do técnico Sepp Herberger, recebeu o troféu das mãos do presidente da FIFA, Jules Rimet.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , ,
13/08/2009 - 18:39

HISTÓRIAS DAS COPAS 63

Compartilhe: Twitter

A Suíça foi escolhida como sede da quinta edição dos mundiais de futebol da FIFA ainda em 1946. No total, 45 seleções fizeram inscrições nas eliminatórias para a Copa de 54, mas 10 delas sequer entraram em campo. Depois de um desempenho decepcionante nos Jogos Olímpicos de 52, a União Soviética resolveu não participar. Alemanha Ocidental e Japão voltaram a ser membros da Fifa e conseguiram vagas na Europa e na Ásia. Na América do Sul, a Argentina recusou convite novamente e os campeões uruguaios estavam classificados automaticamente.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , ,
12/08/2009 - 15:25

HISTÓRIAS DAS COPAS 62

Compartilhe: Twitter

O dia 16 de julho de 1950 entrou para a história com um dos capítulos mais tristes do futebol brasileiro. Se eram 220 mil torcedores no Maracanã, como alguns cogitaram, ou 174 mil, conforme o registro oficial da Fifa, pouco importa. O fato é que o povo, não só no estádio, confiava no favoritismo do Brasil, que só precisava de um empate contra o Uruguai, e acreditava no primeiro título mundial. A festa esquentou com o gol de Friaça no começo do segundo tempo. A virada uruguaia calou o público e o placar final de 2×1 fez do Uruguai bicampeão do mundo e impôs ao Brasil um trauma que só acabaria oito anos depois.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
31/07/2009 - 13:11

HISTÓRIAS DAS COPAS 50

Compartilhe: Twitter

Graças ao gigantesco Maracanã e à popularidade que o futebol já tinha alcançado no Brasil nos anos 40, a Copa do Mundo de 50 foi um sucesso de público. Mais de um milhão de pessoas compareceram aos 22 jogos, média superior a 47 mil torcedores. A primeira partida do mundial ocorreu no dia 24 de junho. De acordo com o registro oficial da Fifa, 82 mil vozes apoiaram o Brasil na vitória sobre o México por 4×0, dois gols de Ademir, um de Jair e um de Baltazar.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo