Publicidade

Publicidade

18/10/2009 - 16:51

HISTÓRIAS DAS COPAS 129

Compartilhe: Twitter

Alf Ramsey era defensor da seleção inglesa e participou da vergonhosa derrota para os EUA na primeira Copa disputada pelos ingleses, em 1950. Já como treinador, assumiu a Inglaterra em 63 com o objetivo de modernizar o futebol inglês. Centralizou as convocações, deu preferências a jogadores trabalhadores e obedientes e mudou o esquema 4-2-4 para o 4-4-2. Depois de classificar o time no grupo 1 da Copa de 66 contra Uruguai, México e França, Ramsey comandou o English Team em vitórias sobre a Argentina nas quartas de final, Portugal na semifinal e a Alemanha Ocidental na decisão.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , ,
09/10/2009 - 18:02

HISTÓRIAS DAS COPAS 120

Compartilhe: Twitter

A classificação para a Copa de 66 teve surpresas na Europa com as eliminações de duas seleções que foram destaques no Mundial do Chile, quatro anos antes: a Tchecoslováquia, vice-campeã, ficou atrás de Portugal e a Iugoslávia, semifinalista em 62, parou na França. Na zona África / Ásia / Oceania, várias desistências entre os inscritos colocaram Coreia do Norte e Austrália na briga por uma vaga. Com vitórias por 6×1 e 3×1, os coreanos chegaram ao Mundial para fazer história na Inglaterra.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , ,
17/09/2009 - 18:10

HISTÓRIAS DAS COPAS 98

Compartilhe: Twitter

A disputa do terceiro lugar da Copa do Mundo de 58, na Suécia, foi um jogo de artilheiros. Na vitória da França sobre a Alemanha por 6×3, o alemão Helmut Rahn marcou um de seus seis gols no Mundial. O nome do jogo foi o francês Just Fontaine, que balançou as redes quatro vezes para chegar à incrível marca de 13 gols em uma só edição do torneio. Os outros goleadores da Copa foram os brasileiros Pelé, com seis gols, e Vavá com cinco, mesma marca do inglês Peter McParland.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , ,
16/09/2009 - 12:27

HISTÓRIAS DAS COPAS 97

Compartilhe: Twitter

O Brasil teve o retorno de Vavá ao time titular na semifinal da Copa de 58 contra a França e ele abriu o placar logo aos 2 minutos de jogo no estádio Rasunda. O artilheiro Fontaine empatou em seguida. Aos 37 minutos do primeiro tempo, Vavá tirou de campo o zagueiro Jonquet com uma dividida, que alguns acusaram de ter sido desleal. Pouco depois, Didi colocou o Brasil na frente e Pelé balançou três vezes as redes adversárias. A vitória por 5×2 colocava o Brasil pela segunda vez na história em uma final de mundial. Na outra semifinal, a Suécia bateu a Alemanha Ocidental por 3×1.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , , ,
14/09/2009 - 16:21

HISTÓRIAS DAS COPAS 95

Compartilhe: Twitter

Quatro cidades suecas receberam no mesmo dia e no mesmo horário as quartas de final da Copa do Mundo de 1958. A anfitriã Suécia bateu a União Soviética por 2×0 e se garantiu em uma semifinal contra a Alemanha Ocidental, que eliminou a Iugoslávia ao vencer por 1×0. A França, comandada pelo artilheiro Fontaine, goleou a Irlanda do Norte por 4×0 e entrou no caminho do Brasil, que sofreu para eliminar País de Gales com vitória magra por 1×0.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , ,
13/09/2009 - 12:19

HISTÓRIAS DAS COPAS 94

Compartilhe: Twitter

Com cinco pontos cada, Brasil e União Soviética se classificaram para as quartas de final da Copa de 58 pelo grupo 4. Na chave 1, Alemanha Ocidental e Irlanda do Norte avançaram. França e Iugoslávia ficaram com as vagas no grupo 2. E a Suécia, dona da casa, se garantiu entre as oito melhores seleções do planeta com a primeira posição na chave 3, que teve o País de Gales classificado como o segundo colocado.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas, Sem categoria Tags: , , , , , , , ,
07/09/2009 - 15:06

HISTÓRIAS DAS COPAS 88

Compartilhe: Twitter

O ataque francês foi uma das sensações da Copa de 58, na Suécia, com 23 gols em seis jogos, marca superior até ao desempenho ofensivo do Brasil. O timaço da França foi comandado por Raymond Kopa, campeão europeu pelo Real Madrid, e pelo artilheiro Just Fontaine, marroquino de nascimento que balançou as redes 13 vezes durante o mundial, marca que ainda não foi batida em apenas uma Copa. Em 58, os franceses só pararam no Brasil e terminaram a Copa em terceiro lugar.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , ,
21/08/2009 - 15:17

HISTÓRIAS DAS COPAS 71

Compartilhe: Twitter

O Brasil iniciou a campanha na Copa do Mundo de 54, na Suíça, na cidade de Genebra. Diante de 13 mil pessoas no estádio de Charmilles, a seleção passou fácil pelo México ao vencer por 5×0, com gols de Baltazar, Julinho, Didi e dois de Pinga. No grupo 1, a equipe brasileira ainda enfrentaria a Iugoslávia, mas não teria confronto contra a França, graças ao sistema de disputa com cabeças-de-chave.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , , , , , ,
25/07/2009 - 18:13

HISTÓRIAS DAS COPAS 44

Compartilhe: Twitter

O aumento significativo no interesse dos sul-americanos pelo futebol e a situação da Europa depois da Segunda Guerra foram fundamentais para que o Brasil fosse escolhido como sede da Copa de 50. Argentina e França desistiram do mundial em protesto contra o novo sistema de disputa com grupos na primeira fase e na etapa final e contra as distâncias entre sedes, que passavam de 3000 km em alguns casos.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , ,
22/07/2009 - 15:55

HISTÓRIAS DAS COPAS 41

Compartilhe: Twitter

A Itália chegou ao Mundial de 38 como campeã olímpica e do mundo, mas sofre para passar pela Noruega na estreia. Depois de eliminar a França, dona da casa, na 2ª fase, os italianos passaram pelo Brasil na semifinal. A outra finalista foi a Hungria, que fez campanha impecável ao passar por Índias Holandesas (atual Indonésia), Suíça e Suécia. Na decisão, em Paris, 45 mil pessoas viram a Itália conquistar o título ao vencer por 4×2, com dois gols de Silvio Piola, artilheiro italiano com cinco gols. Os destaques húngaros foram Zsengeller, com seis gols, e Sarosi, com cinco.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo