Publicidade

Publicidade

20/11/2009 - 17:33

HISTÓRIAS DAS COPAS 162

Compartilhe: Twitter

As Alemanhas Ocidental e Oriental se classificaram no grupo 1 da Copa de 74, com os orientais em primeiro lugar. Na chave 2 da primeira fase, o Brasil avançou, mas ficou atrás da Iugoslávia. A Holanda dominou o grupo 3, que teve ainda a Suécia classificada entre os oito melhores. E, finalmente, no grupo 4, a Itália, vice-campeã em 70, foi eliminada pela Polônia, que ganhou a chave, e pela Argentina, que avançou por ter um gols a mais de saldo do que os italianos.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , ,
13/11/2009 - 16:13

HISTÓRIAS DAS COPAS 155

Compartilhe: Twitter

Mais de 100 mil pessoas lotaram o estádio Azteca, na Cidade do México, para a definição de quem ficaria em definitivo com a taça Jules Rimet. A final entre os bicampeões Brasil e Itália faria o mundo conhecer o primeiro tri da história das Copas. Pelé abriu o placar para a seleção brasileira, mas Boninsegna empatou para os italianos ainda no primeiro tempo. Superior fisicamente, o Brasil ampliou o placar no segundo tempo e venceu por 4×1, com gols de Gérson, Jairzinho e Carlos Alberto, num golaço depois de linha de passe do Brasil. O título consagrou Pelé, o único jogador com três títulos mundiais, e Jairzinho, artilheiro do Brasil com gols marcados em todas as partidas do torneio.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , ,
10/11/2009 - 18:33

HISTÓRIAS DAS COPAS 152

Compartilhe: Twitter

A eliminação na Copa de 66 para a Coreia do Norte mudou o futebol da Itália com o fechamento do mercado para estrangeiros para fortalecer a seleção. Depois do título europeu de 68, os italianos superaram o mal-estar que acometeu vários jogadores para chegar às semifinais. Contra a Alemanha Ocidental, os italianos venciam até o último minuto, quando viram Schnellinger empatar. Na prorrogação, uma batalha que entrou para a história com cinco gols, Beckenbauer jogando com uma clavícula deslocada e a vitória da Itália por 3×2, com 4×3 no placar geral. O desgaste do jogo atrapalhou a Itália no segundo tempo da decisão contra o Brasil.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
08/11/2009 - 11:08

HISTÓRIAS DAS COPAS 150

Compartilhe: Twitter

Gérson e Rivellino voltaram à escalação da seleção brasileira para o jogo que valia vaga nas semifinais da Copa de 70, no México, contra o Peru, surpresa do Mundial comandada pelo craque Cubillas e treinada pelo brasileiro Didi. Rivellino abriu o placar, Tostão marcou duas vezes e Jairzinho completou o placar de 4×2 da vitória brasileira. Ainda pelas quartas de final, a Alemanha Ocidental precisou de prorrogação para eliminar a Inglaterra, a Itália goleou o México por 4×1 e o Uruguai superou a União Soviética no tempo extra.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,
02/11/2009 - 12:23

HISTÓRIAS DAS COPAS 144

Compartilhe: Twitter

As 16 seleções classificadas para a Copa do Mundo do México, em 70, foram divididas em quatro grupos na primeira fase. União Soviética e México avançaram no grupo 1, Itália e Uruguai passaram na chave 2, Brasil e Inglaterra conseguiram classificação no grupo 3 e na chave 4, Alemanha Ocidental e Peru garantiram as primeiras posições e vagas nas quartas de final do torneio.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , ,
31/10/2009 - 12:09

HISTÓRIAS DAS COPAS 142

Compartilhe: Twitter

Martín e José Vantolrá formaram a única dupla de pai e filho que disputaram mundiais de futebol por seleções diferentes. Martín defendeu a Espanha em 1934, na Itália, e José Vantolrá era jogador da seleção dona da casa na Copa de 70, no México. Os mexicanos, aliás, fizeram contra El Salvador o primeiro confronto na fase de grupos entre duas nações do mesmo continente que não fossem europeus ou sul-americanos.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , ,
11/10/2009 - 21:13

UM POUCO DE CADA COISA

Compartilhe: Twitter

Altitude, falta de entrosamento, nervosismo, desatenção em lances isolados de bola parada e até mesmo o mérito dos bolivianos.

Junto uma porção de cada um dos ingredientes acima e você vai entender a derrota do Brasil para a Bolívia por 2×1 pela penúltima rodada das eliminatórias.

Deve ser difícil mostrar serviço quase quatro mil metros acima do nível do mar, mas era de se esperar mais de jogadores que precisavam mostrar serviço como Miranda, André Santos e principalmente os meias Diego Souza e Alex.

Entre os atacantes, Nilmar foi destaque, Adriano foi atrapalhado por contusão e Diego Tardelli não decepcionou.

O aproveitamento de Daniel Alves no meio foi apenas regular, mas a avaliação não compromete a participação do jogador no grupo, já que ele é o reserva para a lateral-direita e pode atuar também pelo lado esquerdo.

MAIS DA METADE – Já temos mais da metade da Copa definida com 19 seleções classificadas. Além da África do Sul, dona da casa, o continente africano já tem Gana e Costa do Marfim no Mundial. Da América do Sul, avançaram Brasil, Paraguai e Chile.

Os asiáticos garantidos são Japão, Austrália, Coreia do Sul e Coreia do Norte. Da região da Concacaf, conquistaram vagas os EUA e o México. E da Europa, já avançaram Itália, Alemanha, Sérvia, Dinamarca, Inglaterra, Espanha e Holanda.

Restam 13 vagas: três da África, uma da Concacaf, uma da América do Sul, seis da Europa (duas diretas e quatro na repescagem), uma da repescagem Ásia / Oceania e uma da repescagem América do Sul / Concacaf.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Seleção Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
10/10/2009 - 14:12

HISTÓRIAS DAS COPAS 121

Compartilhe: Twitter

Pouco se sabia sobre a seleção da Coreia do Norte quando ela se classificou para a Copa de 66. O grupo de mais de trinta jogadores foi reunido quatro anos antes com o objetivo de fazer uma grande seleção. Depois de perder para a União Soviética e empatar com o Chile, a Coreia do Norte conseguiu a façanha de eliminar a Itália ao vencer por 1×0 para chegar às quartas de final. E na briga por uma vaga nas semifinais, uma outra surpresa ficou muito próxima: os norte-coreanos abriram 3×0 contra Portugal ainda no primeiro tempo, mas sucumbiram diante de um show do craque Eusébio, que marcou quatro vezes na virada para 5×3.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , ,
05/10/2009 - 16:02

HISTÓRIAS DAS COPAS 116

Compartilhe: Twitter

Livre de suspensão pela expulsão na semifinal, Garrincha teve que superar febre de 38 graus para entrar em campo na decisão da Copa de 62, no Chile, contra a Tchecoslováquia. A presença na final foi suficiente para que os adversários colocassem dois jogadores na marcação do craque. Masopust colocou os europeus em vantagem, mas Amarildo foi decisivo ao empatar o jogo e fazer o cruzamento para Zito virar o placar. Com um gol de Vavá, o Brasil venceu por 3×1 e conquistou o bicampeonato, igualando o Uruguai, vencedor do Mundial em 30 e 50, e a Itália, que havia levantado a taça em 34 e 28.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
24/09/2009 - 20:02

HISTÓRIAS DAS COPAS 105

Compartilhe: Twitter

A Argentina chegou à Copa do Mundo de 62, no Chile, com a sua força reduzida. O craque Alfredo Di Stefano, destaque do Real Madrid, vestiu a camisa da Espanha. Também argentino de nascimento, Omar Sivori defendeu a seleção da Itália. Os argentinos ainda viram o treinador Adolfo Pedernera comandar a Colômbia. Em campo, a equipe disputou o difícil grupo 4 e foi eliminada na primeira fase com vitória sobre a Bulgária, empate com a Hungria e derrota para a Inglaterra.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo