Publicidade

Publicidade

24/11/2009 - 14:54

HISTÓRIAS DAS COPAS 166

Compartilhe: Twitter

Apesar de só ter participado da Copa do Mundo em 1938, a Holanda chegou ao Mundial de 74 com o prestígio obtido pelos clubes em competições continentais, com quatro títulos seguidos na Copa Europeia de Clubes Campeões: um do Feyenoord, em 70, e três do Ajax, em 71, 72 e 73. A seleção, no entanto, ainda não colecionava bons resultados e não tinha o reconhecimento dos torcedores holandeses.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , ,
08/11/2009 - 11:08

HISTÓRIAS DAS COPAS 150

Compartilhe: Twitter

Gérson e Rivellino voltaram à escalação da seleção brasileira para o jogo que valia vaga nas semifinais da Copa de 70, no México, contra o Peru, surpresa do Mundial comandada pelo craque Cubillas e treinada pelo brasileiro Didi. Rivellino abriu o placar, Tostão marcou duas vezes e Jairzinho completou o placar de 4×2 da vitória brasileira. Ainda pelas quartas de final, a Alemanha Ocidental precisou de prorrogação para eliminar a Inglaterra, a Itália goleou o México por 4×1 e o Uruguai superou a União Soviética no tempo extra.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,
01/11/2009 - 14:45

HISTÓRIAS DAS COPAS 143

Compartilhe: Twitter

O estádio Azteca foi construído para abrigar 115 mil torcedores na Cidade do México para os Jogos Olímpicos de 1968 e a Copa do Mundo de 70. O campo foi posicionado para que a trajetória do sol não incomodasse nenhuma das equipes. Antes que as obras pudessem ser iniciadas, foram retirados enormes depósitos de rocha vulcânica que restavam da erupção de um antigo vulcão no local. Usado também no Mundial de 86, o estádio foi o único palco de duas finais de Copa, além de ter coroado gênios do futebol como Pelé e Maradona. O Azteca é casa da seleção mexicana e do América.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , , ,
29/10/2009 - 16:37

HISTÓRIAS DAS COPAS 140

Compartilhe: Twitter

A Copa do Mundo de 70, no México, foi a primeira transmitida ao vivo para o Brasil, ainda em preto e branco. Vários países do mundo viram as partidas do Mundial com transmissão colorida pela primeira vez. Como espetáculo televisivo com grande audiência na Europa, o torneio expôs os jogadores ao calor intenso na altitude de algumas cidades mexicanas, como a capital do país, com algumas partidas marcadas para o meio-dia. A bola preta e branca também foi escolhida para ter melhorar visualização pela TV.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , ,
27/10/2009 - 17:42

NOVOS LATERAIS

Compartilhe: Twitter

O técnico Dunga deixou clara a dúvida com relação à lateral-esquerda para a Copa do Mundo na convocação para os amistosos contra Inglaterra e Omã. Nem André Santos, que mais frequentou o time titular nos últimos jogos, aparece entre os convocados.

Filipe Luís e Marcelo, outras opções recentes do treinador, também não aparecem na relação desta terça. Desta vez, o treinador preferiu testar Fábio Aurélio, do Liverpool, e Michel Bastos, do Lyon.

Fábio era um pedido de muita gente em função da boa fase na Inglaterra e de ser o melhor lateral brasileiro na parte defensiva.

Michel Bastos é um ala, com ótimo aproveitamento ofensivo e fragilidade na marcação. Pode ser uma opção caso Dunga resolva alterar um pouco o esquema, o que não parece o caso.

Outra boa alternativa é contar com o meia Alex, que jogou no Inter e está no Spartak Moscou, como um reserva para a lateral ou para a ala pela esquerda e abrir uma vaga para um jogador de outra posição para o Mundial da África do Sul.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Seleção Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,
27/10/2009 - 16:25

HISTÓRIAS DAS COPAS 138

Compartilhe: Twitter

Quatro equipes que disputaram as quartas de final da Copa de 66 sequer conseguiram classificação para o Mundial de 70, no México. Na Europa, Portugal foi eliminado no grupo que tinha a Romênia e a campeã olímpica Hungria perdeu na classificação para a Tchecoslováquia. Na América do Sul, o Peru, do craque Cubillas, foi a surpresa ao garantir vaga e deixar a Argentina de fora. Já a Coreia do Norte não foi ao Mundial por se negar a jogar contra Israel.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , , ,
14/10/2009 - 21:39

HISTÓRIAS DAS COPAS 125

Compartilhe: Twitter

Vítima das botinadas búlgaras na primeira rodada da Copa de 66, Pelé desfalcou o Brasil contra a Hungria, segundo jogo da seleção pelo grupo 3 do Mundial da Inglaterra. O substituto foi Tostão, que até marcou um gol, mas não conseguiu evitar a derrota por 3×1, em Liverpool. Foi a primeira derrota brasileira na primeira fase de uma copa desde 1954.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , ,
09/10/2009 - 18:02

HISTÓRIAS DAS COPAS 120

Compartilhe: Twitter

A classificação para a Copa de 66 teve surpresas na Europa com as eliminações de duas seleções que foram destaques no Mundial do Chile, quatro anos antes: a Tchecoslováquia, vice-campeã, ficou atrás de Portugal e a Iugoslávia, semifinalista em 62, parou na França. Na zona África / Ásia / Oceania, várias desistências entre os inscritos colocaram Coreia do Norte e Austrália na briga por uma vaga. Com vitórias por 6×1 e 3×1, os coreanos chegaram ao Mundial para fazer história na Inglaterra.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , ,
06/10/2009 - 11:52

HISTÓRIAS DAS COPAS 117

Compartilhe: Twitter

A Copa de 62, no Chile, teve um inédito empate na artilharia do torneio, de acordo com a Fifa. Seis atletas marcaram quatro gols durante o Mundial, sendo dois brasileiros: Garrincha e Vavá, que disputaram as cinco partidas da seleção em território chileno. A melhor média foi do húngaro Florian Albert, que entrou em campo apenas três vezes. Valentin Ivanov, da União Soviética, o chileno Leonel Sanchez e o iugoslavo Drazen Jerkovic completam a relação. Há quem defenda, no entanto, que Jerkovic teria marcado um quinto gol no torneio, confirmado para Galic, no jogo contra o Colômbia. A Fifa, no entanto, não oficializa a marca.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , ,
05/10/2009 - 16:02

HISTÓRIAS DAS COPAS 116

Compartilhe: Twitter

Livre de suspensão pela expulsão na semifinal, Garrincha teve que superar febre de 38 graus para entrar em campo na decisão da Copa de 62, no Chile, contra a Tchecoslováquia. A presença na final foi suficiente para que os adversários colocassem dois jogadores na marcação do craque. Masopust colocou os europeus em vantagem, mas Amarildo foi decisivo ao empatar o jogo e fazer o cruzamento para Zito virar o placar. Com um gol de Vavá, o Brasil venceu por 3×1 e conquistou o bicampeonato, igualando o Uruguai, vencedor do Mundial em 30 e 50, e a Itália, que havia levantado a taça em 34 e 28.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo