Publicidade

Publicidade

09/08/2009 - 17:55

HISTÓRIAS DAS COPAS 59

Compartilhe: Twitter

O técnico Flávio Costa manteve o time da vitória sobre a Iugoslávia para o início do quadrangular decisivo da Copa de 50. Quase 140 mil torcedores foram ao Maracanã ver um show de Ademir de Menezes, que marcou quatro vezes na goleada por 7×1 sobre a Suécia. Completaram o placar Maneca e Chico, que fez dois gols. O resultado colocou o Brasil na liderança, já que Uruguai e Espanha empataram por 2×2 no mesmo dia 9 de julho, só que no
Pacaembu.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , , ,
06/08/2009 - 17:56

HISTÓRIAS DAS COPAS 56

Compartilhe: Twitter

Doze anos depois do bicampeonato mundial, a Itália sofreu para mandar o seu time para a Copa do Mundo de 50, no Brasil. A tragédia de Superga, acidente aéreo nos arredores de Turim que matou todo o time do Torino, o melhor do país, desmontou a seleção nacional. A equipe perdeu logo na estreia contra a Suécia por 3×2, no estádio do Pacaembu, em São Paulo. A vitória contra o Paraguai por 2×0 não foi suficiente para classificar os italianos, que ficaram um ponto atrás dos suecos no grupo 3 e foram eliminados.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , ,
02/08/2009 - 12:19

HISTÓRIAS DAS COPAS 52

Compartilhe: Twitter

Depois de vencer o México por 4×0 na primeira rodada, o Brasil teve quatro mudanças no time titular promovidas pelo técnico Flávio Costa para o jogo contra a Suíça. O treinador escalou todo o meio-campo do São Paulo e viu o time empatar com a Suíça por 2×2, ao sofrer um gol a dois minutos do final. Alfredo dos Santos e Baltazar fizeram os gols brasileiros. A equipe foi vaiada em alguns momentos pelos 42 mil torcedores que encheram o estádio do Pacaembu, em São Paulo.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , ,
28/07/2009 - 15:24

HISTÓRIAS DAS COPAS 47

Compartilhe: Twitter

A organização brasileira para a Copa do Mundo de 1950 preparou o Maracanã, no Rio de Janeiro, para ser o grande palco e receber sete jogos do torneio, mas outras cinco cidades receberam jogos do Mundial. Em São Paulo, seis partidas foram disputadas no Pacaembu. Ainda receberam duelos da Copa o Independência, em Belo Horizonte;o estádio dos Eucaliptos, em Porto Alegre; o Durival de Brito, em Curitiba; e a Ilha do Retiro, em Recife.

Autor: - Categoria(s): Copa 2010, Histórias das Copas Tags: , , , , , , , , , , , , ,
02/07/2009 - 17:15

COPA DO BRASIL EM CIFRÕES

Compartilhe: Twitter

Os cofres do Corinthians não sentiram falta do Morumbi e nem se importaram com os ingressos mais caros em 2009. O desempenho econômico na Copa do Brasil foi melhor do que o do ano passado, mesmo com um jogo a menos em casa. O estudo especialista em marketing esportivo Ivan Rizzo mostra como o clube valorizou o time como produto para o torcedor.

O estádio do rival São Paulo, palco da campanha do vice em 2008, não foi usado este ano. O Corinthians mandou suas partidas no Pacaembu, com capacidade menor e ingressos mais caros. O tíquete médio mais que dobrou e a média de público caiu um pouco.

Mesmo assim, a renda total foi expressivamente maior em 2009. O Projeto Fiel Torcedor, programa de fidelização de sócio-torcedor que já tem mais de 40 mil adeptos, também ajudou muito nos resultados. 

 

 

 

2007

 

2008

 

2009

Copa do Brasil

Renda Total (R$)

 

705.862,00

 

4.305.696,00

 

5.821.115,00

 

Público Total

 

42.563

 

232.032

 

133.819

 

Jogos como mandante

 

2

 

5

 

4

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tíquete Médio (R$)

 

16,58

 

18,56

 

43,50

 

Público médio

 

21.282

 

46.406

 

33.455

Autor: - Categoria(s): Copa do Brasil Tags: , , , , , , , ,
21/04/2009 - 18:41

FAZENDO CONTAS

Compartilhe: Twitter

Não houve quem não se assustasse na redação da Rádio Bandeirantes ao saber que a diretoria do Santos havia anunciado o preço das arquibancadas para a primeira decisão do Paulistão na Vila Belmiro: 80 reais!

Na segunda partida, no Pacaembu, os assentos mais baratos vão custar 40 reais. O objetivo dos dirigentes santistas, no entanto, é encontrar o equilíbrio entre o que o torcedor pode pagar por um jogo especial e a compensação de eventuais perdas pelo fato de a capacidade da Vila Belmiro, de 20 mil lugares, ser menor do que a de outros estádios no estado de São Paulo.

Fiz uma conta simples considerando o Morumbi como um palco eventual para a decisão e tomando por base os 40 reais que serão cobrados pelo Corinthians. Se viajasse de carro, o santista gastaria 17 reais com o pedágio, aproximadamente 15 reais com o estacionamento e pelo menos 20 reais de combustível, já que são 81km entre a Vila Belmiro e o Morumbi (consumo médio de 10km/l e 1,3 real de preço do litro de álcool). Asssim, o preço final se aproxima dos 100 reais.

Como a ideia é valorizar a parte da torcida que acompanhou o time durante todo o campeonato e fazer o time sentir a diferença de jogar em casa, fica mais fácil entender os valores das entradas para a final de domingo.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , ,
12/04/2009 - 20:29

CRAQUES COMUNS

Compartilhe: Twitter

Craque, por definição, pode ser quase tudo. Genioso, instável, desleixado com a parte física. Menos um jogador comum. E ontem, no Pacaembu, os dois jogadores que eu chamo de craques sem medo de errar nos elencos de Corinthians e São Paulo foram apenas jogadores comuns. Isso para ser bondoso com Rogério Ceni e Ronaldo.

Vamos começar pelo atacante corintiano. Ronaldo não foi Ronaldo. Poderia ter sido expulso antes mesmo dos 10 minutos de jogo. A entrada sobre o são-paulino André Dias foi injustificável. E pouco depois dos 10 minutos do segundo tempo, perdeu uma chance clara. Desta vez, Douglas passou. Na cara de Rogério, Ronaldo fez o óbvio e parou nas mãos do goleiro Rogério Ceni.

E por falar em Rogério, ele não tem sido Rogério. Depois de falhas seguidas contra São Caetano e Defensor, o goleiro do São Paulo quase engoliu um frangaço em chute de Douglas. Soltou uma falta cobrada por Chicão e por pouco não complicou ainda mais a situação são-paulina nas semifinais do Paulistão. E já faz tempo que o aproveitamento nas faltas caiu.

Autor: - Categoria(s): Estaduais Tags: , , , , ,
06/04/2009 - 21:27

PACAEMBU OU INTERIOR

Compartilhe: Twitter

“O interior vai virar uma festa”. Esta foi a resposta do presidente do Corinthians, Andres Sanchez, sobre a possibilidade de usar outro estádio para mandar jogos caso o Pacaembu não possa ser utilizado em alguma ocasião.

Quando foi reeleito, Andres fez questão de dizer que os corintianos não mandariam jogos no Morumbi enquanto ele fosse o presidente. Hoje, depois da reunião que definiu as semifinais do Paulistão na sede da Federação Paulista de Futebol, o dirigente fez questão de dizer que não se trata de represália e ouviu de são-paulinos que o tricolor fará um esforço para demovê-lo da ideia.

É o primeiro movimento que parece indicar uma mudança de postura do São Paulo, depois do endurecimento que afastou os rivais do estádio do Morumbi e vai fazer o clube perder receita importante em 2009.

Enquanto isso, políticos e comerciantes de importantes cidades do interior de São Paulo esfregam as mãos, esperando por eventos que os gigantes do estado podem proporcionar. Além do Prudentão, usado para o clássico Palmeiras x Corinthians no Paulistão 2009, outros locais parecem prontos para jogos dos grandes.

Araraquara inaugura em pouco tempo uma arena totalmente reformada na Fonte Luminosa, São José do Rio Preto garante que o Teixeirão ainda pode ser um grande palco e Ribeirão Preto espera por duelos importantes para o Santa Cruz.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo