Publicidade

Publicidade

20/07/2009 - 18:45

A VOLTA DOS CRAQUES E O ÍNDICE BIG MAC

Compartilhe: Twitter

Reproduzo com prazer o texto do especialista em marketing esportivo Ivan Rizzo, amigo que já pode ser considerado um colaborador deste blog. É sempre interessante entender um pouco de como a economia pode mexer com os nossos times.

Este ano ficamos felizes e surpresos com a volta de diversos craques ao futebol brasileiro. Adriano, Fred e Ronaldo encabeçam a lista que tende a engrossar.

Proximidade com a Copa da África ou saudades do feijão, as razões apontadas são diversas. Mas cabe um comentário do contexto econômico em que os jogadores se encaixam.

Criado pela revista americana ‘The Economist’, o índice ‘Big Mac’ utiliza-se do princípio da paridade do poder de compra. Como o famoso sanduíche é o mesmo ao redor do mundo, utilizando a mesma quantidade de matéria-prima, recursos humanos, energia, etc é considerado o melhor exemplo de comparação de preços em mercados diferentes.

Na última edição do índice, o Brasil ficou à frente dos EUA, com o sanduíche custando quarenta e cinco centavos de dólar a menos que o país inventor do sanduíche. Já na zona do euro, onde estão os principais mercados da bola, o mesmo sanduíche custa US$ 4,62.

Resumindo o economês: se os brazucas conseguem uma proposta salarial em reais equivalente ao que receberiam lá fora em euro, é financeiramente melhor vir para o Brasil. Claro que a análise não leva em conta fatores extra-campo que os jogadores sempre argumentam, como a violência urbana, o desejo de jogar nos principais clubes do mundo, mas é mais um bom exemplo que, com planejamento e gestão adequados, os clubes tem plenas condições de manter equipes competitivas e atraentes.

Autor: - Categoria(s): Brasileirão, Futebol europeu Tags: , , , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo